Postagens mais visitadas

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

PAPO DE BOLA, SUA FOLHA SEMANAL DE ESPORTES ON-LINE
CARIOCA 2009:
bola vai rolar no sábado Fluminense, Botafogo e Vasco tentam impedir o tricampeonato do Flamengo
GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro Estadual inflama rivalidade entre clubes do Rio A temporada 2009 começa oficialmente para os clubes do Rio de Janeiro neste sábado com o pontapé inicial do Campeonato Carioca. Os quatro grandes sempre despontam como favoritos, mas o Flamengo, atual bicampeão, tem uma motivação especial: buscar o seu quinto tricampeonato estadual. Parar o time de maior torcida, portanto, se tornou a missão dos rivais, que não querem ver mais uma festa rubro-negra pelas ruas do Rio de Janeiro pelo terceiro ano seguido. O Fluminense tem uma disputa extra com o Fla, já que ambos conquistaram o Carioca 30 vezes e, se um dos dois levar a taça, será o maior vencedor do estado do Rio. O Tricolor não poupou esforços para fazer contratações de alto nível e repor as peças que perdeu, especialmente para o futebol paulista. Botafogo e Vasco remontaram seus times após um 2008 decepcionante. Enquanto os alvinegros fizeram figuração no Campeonato Brasileiro, os cruzmaltinos viveram uma das maiores decepções de sua história ao verem sua equipe rebaixada à Série B do Brasileirão. Os dois times esperam novos tempos na atual temporada. Flamengo mantém a base em busca do quinto tricampeonato Fluminense renova o elenco para retomar hegemonia no Rio Botafogo busca a quarta final seguida. Mas agora, para ganhar Renovado, Vasco quer acabar com jejum de seis anos Os pequenos não deram muito trabalho no Carioca 2008, mas, antes de a bola rolar, todos prometem surpreender. Vale destacar o Duque de Caxias, que fez bonito na Série C nacional e conseguiu o acesso à Segundona. Madureira, Volta Redonda, Americano e Cabofriense costumam incomodar os grandes, enquanto o tradicional Bangu está de volta à elite carioca e trouxe consigo o estreante Tigres, clube novato com uma estrutura de primeira linha. A união faz a força no Americano Cabofriense começa Estadual em alta velocidade Carioca servirá de teste para o Duque de Caxias Boavista: o Botafogo B no Carioca Em processo de reestruturação, Bangu retorna à elite carioca Mesquita: o último sonha ser o primeiro Friburguense vem modesto para o Campeonato Carioca 2009 Tigres do Brasil: pequeno com jeito de time grande Estádio Moacyrzão 'desfalca' o Macaé Madureira aposta na volta de treinador Voltaço reformula elenco para 2009 No Resende o lema é: Viola neles' A fórmula de disputa é a mesma do ano passado com 16 times divididos em dois grupos, sendo que os dois primeiros de cada chave se classificam para as semifinais tanto da Taça Guanabara (primeiro turno) quanto da Taça Rio (segundo turno). Na Taça GB, as equipes se enfrentam dentro do seu grupo, enquanto na Taça Rio a disputa é contra os integrantes da outra chave.
CONFIRA OS DOIS GRUPOS:
A) Fluminense - Vasco - Duque de Caxias - Madureira - Americano - Cabofriense - Resende e Tigres.
B) Flamengo - Botafogo - Volta Redonda - Boavista - Bangu - Friburguense - Macaé e Mesquita.
ARIOCA 2009: Fluminense renova o elenco para retomar hegemonia no Rio
Tricolor tem sete novos titulares para esta temporada e aposta nos gols de Leandro Amaral para conquistar títulos em 2009.
Depois de viver de forma intensa a temporada passada, com o vice-campeonato da Libertadores e a luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o Fluminense chega em 2009 com um elenco muito renovado. Ao todos foram contratados 11 novos reforços, sendo que seis começarão o ano como titulares no time do técnico René Simões. São eles: Leandro; Jailton, Diguinho, Leandro Domingues, Leandro Amaral e Roger. A pré-temporada, realizada em Águas de Lindóia, no interior de São Paulo, foi muito bem aproveitada pela comissão técnica. O treinador fez questão de escalar logo um time titular e trabalhou forte em cima dos 11 escolhidos. E o resultado veio logo no primeiro jogo oficial de 2009: vitória por 1 a 0 contra o Coritiba, na capital paranaense, em amistoso pelo centenário do Coxa. O gol foi marcado pelo meia-atacante Tartá.
Com um elenco formado por 32 jogadores, o Fluminense tem o seguinte time-base: Fernando Henrique, Wellington Monteiro, Luiz Alberto, Edcarlos e Leandro; Jailton, Diguinho, Leandro Domingues e Conca; Leandro Amaral e Roger. É com essa equipe que o Tricolor vai em busca do 31º título carioca para tentar recuperar a hegemonia no Rio de Janeiro, já que hoje está empatado com o Flamengo, com 30 títulos para cada clube.
O esquema tático René Simões escalou o time do Fluminense no já tradicional esquema 4-4-2. Mas durante a pré-temporada ele testou variações para o 3-5-2, com Wellington Monteiro desempenhando a função de terceiro zagueiro e dando mais liberdade para as subidas do lateral-esquerdo Leandro. Desta forma, Jailton protege a defesa e Diguinho flutua no meio-de-campo. No ataque, Leandro Amaral sai mais da área para buscar a bola e deixa Roger fixo, desempenhando a função de pivô, ou ajeitando a bola para quem vem de trás, ou tentando girar em cima da marcação para finalizar.
Quem sobe e quem desce no início de 2009
Edcarlos assume a vaga deixada por Thiago Silva e Maicon, que terminou o ano passado como titular, volta para a reserva com as contratações de Leandro Amaral e Roger.
Edcarlos – Contratado ainda durante o Campeonato Brasileiro, o zagueiro Edcarlos soube esperar o seu momento e herdou a vaga que Thiago Silva deixou na defesa ao acertar a sua ida para o Milan, da Itália. E já na primeira partida deste ano, Edcarlos se destacou na vitória por 1 a 0 no amistoso disputado contra o Coritiba, na capital paranaense, pelo centenário do Coxa. Maicon – O jovem atacante terminou a temporada passada como titular no ataque, ao lado de Washington. Mesmo com a saída do Coração Valente, que foi para o São Paulo, Maicon começou 2009 entre os reservas, pois os novos contratados, Leandro Amaral e Roger, foram os escolhidos pelo técnico René Simões.A aposta das categorias de base.
Se a pré-temporada teve uma surpresa positiva para o Fluminense, o nome dela é Alan. O jovem atacante fez bem o se trabalho e, mesmo tendo começado o primeiro coletivo do ano fora dos dois times que iniciaram o treinamento, ele não se abateu e soube esperar. Durante o treinamento, René Simões mudou alguns jogadores e Alan acabou entrando entre os titulares e marcou dois gols na vitória por 3 a 1 sobre os reservas. Esta atuação rendeu a oportunidade de viajar para Curitiba e disputar o amistoso contra o Coritiba. Alan entrou no segundo tempo, infernizou a defesa adversária e deu o passe para Tartá marcar o gol da vitória.
Os reservas que podem incomodar
Alexandre Cassiano/AGÊNCIA O GLOBO
Tartá deve incomodar os titulares no Flu.
Dois reservas prometem ser a dor de cabeça de René Simões na temporada 2009. O meia Leandro Bomfim e o meia-atacante Tartá começaram bem o ano e se destacaram no jogo-treino contra o Brasilis FC, em Águas de Lindóia, e no amistoso contra o Coritiba, em Curitiba. Tartá marcou os dois gols feitos pelo time em 2009, no empate em 1 a 1 na estréia, e na vitória por 1 a 0 na capital paranaense. Já Leandro Bomfim entrou no segundo tempos das duas partidas e mudou a cara do jogo, deixando o meio-de-campo mais criativo. Olho neles! O ponto forte e o ponto fraco.
PONTO FORTE - Força no elenco A diretoria do Fluminense se preocupou em atender ao principal pedido do técnico René Simões em 2009: ter pelo menos dois jogadores do mesmo nível por posição. O coordenador de futebol Alexandre Faria não mediu esforços e conseguiu contratar os reforços pedidos pelo treinador. PONTO FRACO - Falta de entrosamento Como trocou muitas peças no elenco e também no time titular, o Fluminense pode esbarrar na falta de entrosamento no começo do Campeonato Carioca e perder pontos nas primeiras rodadas. Opinião do técnico :
Vamos ter trabalho, mas o Fluminense sempre foi assim e gosta de desafios"
“Temos que nos tornar heróis antes mesmo das adversidades. Não precisa que elas aconteçam para que os jogadores busquem o máximo dentro e fora de campo. Acredito que será um campeonato equilibrado, mais ainda do que o do ano passado. Isso porque os chamados grandes terão que jogar na casa de todos os outros clubes. Isso torna a competição mais difícil. Vamos ter trabalho, mas o Fluminense sempre foi assim e gosta de desafios.”