segunda-feira, 26 de maio de 2008

FUTEBOL INTERNACIONAL

PAPO DE BOLA, SUA FOLHA SEMANAL DE ESPORTES ON-LINE
O jogo da vida de Darío Conca
Cria do River Plate, apoiador quer mostrar contra o Boca Juniors que tem vaga na seleção argentina
O jogo contra o Boca Juniors está sendo tratado pela delegação tricolor como o mais importante da história do Fluminense, que pela primeira vez enfrentará o maior time da Argentina numa partida oficial, na semifinal da Libertadores. Mas, se para o Flu o jogo é especialíssimo, para Darío Conca é ainda mais. O meia, que tem sido o destaque do time nas últimas partidas, é nascido em Buenos Aires, criado nas divisões de base do River Plate, maior rival do Boca, e apesar de encantar muitos brasileiros com seu futebol rápido e habilidoso, nunca é lembrado para a seleção de seu país. Nesta quarta, quando toda a Argentina estará voltada para o jogo entre Fluminense e Boca, uma boa atuação servirá para mostrar que Conca pode, sim, ter uma chance na sua seleção. Tímido e avesso às entrevistas, o jogador do Flu disfarça quando perguntado sobre a importância do jogo desta quarta para suas pretensões pessoais. O argentino prefere destacar o grupo, mas o sorriso quando se fala em seleção argentina é indisfarçável, embora contido. É bom lembrar que ele só tem 25 anos, e que ainda tem alguns anos pela frente para realizar seu sonho.- Não quero pensar em seleção, apenas no Fluminense. Não posso ficar pensando numa coisa que foge da minha alçada. Minha cabeça está voltada para a semifinal e para a camisa tricolor. Ser convocado ou não será uma consequência do meu trabalho aqui, então é nisso que tenho que focar. Por ter sido revelado no River, Conca sabe que será hostilizado pela torcida do Boca, mas garante que isso não afetará seu desempenho. O jogador também não teme a violência por parte dos adversários. - O Boca tem um time muito bom, todos sabem disso. Não creio que eles tenham que se utilizar desse artifício. Vai ser um jogo duro, disputado, mas na bola.