Postagens mais visitadas

domingo, 4 de maio de 2008

Verdão vence a segunda final com a Ponte Preta, 5 a 0, e fatura o Paulistão após 11 anos


PAPO DE BOLA, SUA FOLHA SEMANAL DE ESPORTES ON-LINE


O Palmeiras deixou uma geração sem saber o que é comemorar um título paulista, mas, depois de 11 anos, 11 meses e dois dias voltou a mandar no futebol de São Paulo. Numa das decisões mais tranqüilas dos últimos tempos, o Verdão, que já tinha vencido a Ponte Preta por 1 a 0 no primeiro jogo, em Campinas, no final de semana passado, ganhou também no Palestra Itália. Neste domingo, com o placar de 5 a 0, os palmeirenses conquistaram o 22º título estadual da sua história.
O Verdão, por ter melhor campanha nas duas fases anteriores – a de classificação e a semifinal – entrou na final já com a vantagem. Se quisesse, poderia até mesmo empatar as duas partidas com a Ponte que levaria a taça. Mas o melhor ataque da competição queria mais. Depois da vitória em Campinas, até uma derrota por um gol de diferença deixaria o título no Palestra. Mas ser campeão perdendo o jogo não tem a mesma graça...

Por isso, o Verdão foi para cima com fome de quem precisava vencer para ser campeão. De nada adiantou o jogo de cena do técnico pontepretano, Sérgio Guedes, que passou a semana dizendo que o zagueiro César e o volante Elias não iriam para o jogo. Para surpresa geral, minutos antes do começo do jogo, lá estavam César, com o joelho machucado, e Elias, com uma costela fraturada, na escalação. Mais atrapalharam que ajudaram.
A Ponte até começou melhor, pela necessidade da ocasião, e arriscou primeiro. O meia Renato, principal jogador da Macaca e que voltava a time após cumprir suspensão no jogo de Campinas, teve algumas chances de falta, sua especialidade, mas não soube aproveitar. Luis Ricardo teve ótima oportunidade, , mas Marcos pegou. Se marcasse o gol, a Ponte poderia mudar a história do jogo. Poderia...

"É um dos dias mais felizes da minha vidaValdivia, meia do Palmeiras"